61 respostas para Manifesto por um espiritismo kardecista livre.

  1. Douglas Neman disse:

    De acordo

    Douglas Neman São Paulo SP

    Curtir

  2. Douglas Thá Júnior disse:

    Concordo.

    Curtir

  3. Alcione Francisca Garcia Fonseca disse:

    Penso que é uma tentativa válida de melhor compreensão e vivência do Espiritismo .

    Curtir

  4. Gilson Alves previtali disse:

    Apoiado!

    Curtir

  5. Leonel sivieri varanda disse:

    1) Aceitamos como princípios espíritas a existência de Deus, a existência dos
    Espíritos e comunicação com estes e a reencarnação, numa perspectiva de evolução
    individual e coletiva.
    Lendo o item 1 da proposta, acreditamos, com todo o respeito a seus idealizadores, que a proposta não se encaixa na perspectiva espírita, o máximo que poderíamos admitir é uma proposta espiritualista, já que o contexto doutrinário do Espiritismo é muito mais abrangente. E isso pode ser constatado fazendo uma análise comparativa entre as propostas filosóficas contidas em O Livro dos Espíritos e a proposta atual.

    Outro ponto importante é a dificuldade dos seus idealizadores de enxergar o aspecto religioso do Espiritismo, talvez, com receio da Doutrina tornar-se mística, mas, isto é apenas uma apreciação. Por exemplo, Kardec teve o cuidado em “O Evangelho Segundo o Espiritismo” de dedicar os quatro primeiros capítulos, onde estuda, à luz da razão, temas como a vida futura, a imortalidade e a reencarnação, para somente após iniciar o estudo das Bem aventuranças, contidos no sermão da montanha. Ou seja, existiu toda uma preocupação de Kardec no sentido de ajudar o espírito humano a transitar da fé cega para a fé raciocinada, e não deixar que o misticismo religioso fizesse parte da manifestações dos espíritas.

    Talvez a Dr. Dora possa esclarecer melhor o posicionamento dos idealizadores.

    Curtir

    • mzanolini disse:

      Oi Leonel.
      Sobre o item 1, buscamos sintetizar nele o que seriam os elementos sem os quais não poderíamos sequer considerar que algo seja espiritismo (lembre-se que partimos da premissa de que existem diferentes manifestações do espiritismo e que o Espiritismo Kardecista Livre é a manifestação que defendemos aqui). Esse item é importante porque define a base para que outras interpretações do espiritismo sejam consideradas também legítimas.
      Em relação ao aspecto religioso do espiritismo, você aponta a forma como Kardec construiu seu raciocínio traçando um caminho que parte da fé cega e leva a fé raciocinada. É exatamente essa compreensão que defendemos (da fé raciocinada, que portanto não é uma religião de liturgias e dogmas). Mas, na nossa avaliação, não é essa a posição (ou a prática) que se desenvolve nos centros espiritas hoje no Brasil. O espiritismo institucional criou uma religião de liturgias e dogmas, que embora seja sim uma manifestação do espiritismo (já que tem como base o que está no item 1, não é espiritismo kardecista.

      Curtir

  6. Até que enfim: Um espiritismo livre.

    Curtir

  7. Mauricio Vlamir Ferreira disse:

    Concordo plenamente!
    Mauricio Vlamir Ferreira (Santo André-SP)

    Curtir

  8. Jerônimo Dutra Lopes disse:

    Se não criar uma ramificação do espiritismo, estou em pleno acordo

    Curtir

    • mzanolini disse:

      O espiritismo já é repleto de ramificações. Nós apenas estamos assumindo que existem diferentes interpretações do que é o espiritismo e estamos adjetivando de Kardecista Livre a interpretação que, na nossa leitor, é fiel ao perfil analítico, investigativo e crítico de Kardec.

      Curtir

  9. Albertina Maria de Lima Marcos disse:

    De acordo…

    Curtir

    • Emídio Luís dos Santos disse:

      A ideia do espiritismo elevado a categoria de religião dificulta muito no seu verdadeiro propósito. A Doutrina espírita é uma Ciência a serviço do ser humano, tendo por meta principal o desenvolvimento do senso moral do indivíduo, para vivenciar seus postulados é preciso observar, e estudar, sob a luz da razão e do bom senso coisa que somente com o apoio da filosofia isso será possível.

      Curtir

  10. Wilson Custódio Filho disse:

    Vivemos momentos difíceis no ME, porém, nunca tivemos tanta oportunidade de aprendizado. A submissão, o dogmatismo ortodoxo, aliado a prepotência e ao religiosismo exarcebado nunca esteve tão evidente. Espíritas de Esquerda, Espíritas de Direita e Espíritas de Centro. Talvez justifique o esvaziamento nas Casas Espíritas e o abandono das lideranças as instituições. “O Espiritismo exprapolou as Casas Espíritas e os Espíritos sérios pouco as frequenta, vão onde há homens sérios”.

    Curtir

    • Beto Junior disse:

      Lamentávelmente algumas casas utilizam-se da terminologia “Espírita” para tentar açambarcar seguidores. Poderia citar aqui diversas, porém acredito que seja de bom alvitre não nominá-las. Dirigentes se aproveitam da boa fé e mesmo certa inocência de frequentadores de suas casas para arrecadar recursos e mesmo realizar verdadeiras “lavagens cerebrais” utilizando sua visão pessoal (distorcida) da doutrina. Lembram certos líderes de igrejas evangélicas que fazem arrecadação “em nome de Jesus”, porém utilizam os recursos em proveito próprio. Esses falsos espíritas realizam “sessões de cura” alegando serem instrumentos da Espiritualidade (vejam o noticiário recente sobre fatos ocorridos em Goiás e no Nordeste).
      Esse movimento merece nosso apoio e respeito por querer o certo, o justo, a verdade sobre o que realmente significa a Doutrina de Kardec e o que é ser verdadeiramente espírita.

      Curtir

  11. Cesar Benjamin de Souza Silva disse:

    Apoio totalmente a liberdade religiosa.

    Curtir

  12. Vitor Hugo Soares disse:

    Plenamente de acordo.Jesus e Kardec são bases e cumeeira da DE.

    Curtir

  13. Leilton Lima disse:

    Assino com alegria renovada este manifesto. Quem quiser encontrar as bases doutrinárias desse pensamento basta estudar As Leis Morais, em O Livro dos Espíritos!

    Curtir

  14. O Espiritismo ainda é um grande desconhecido, por adeptos e não adeptos. Esforcemos, primeiro, por entender primeiro a sua mensagem. Não posso deixar de concordar com J. Herculano Pires: “Ninguém é professor de espiritismo. Todos somos aprendizes, todos.”

    Curtir

  15. O evangelho segundo o espiritismo oferece a explicação das máximas morais do Cristo em concordância com o Espiritismo e suas aplicações às diversas circunstâncias da vida.
    Codificador Alan Kardec.

    Curtir

  16. Minha casa Dr. Bezerra de Menezes, onde trabalho e frequento a anos.
    Amo essa Doutrina e o nosso Codificador.

    Curtir

  17. Sidnei Batista disse:

    Esse Manifesto veio em boa hora, já estava passando do tempo. Certamente, não queremos promover uma “jihad” no movimento espírita brasileiro, mas temos o dever de erguer a voz e mostrar ao Brasil e ao mundo que existe sim vida inteligente abaixo da linha do equador.

    Curtir

  18. José Aparecido Sanches disse:

    De pleno acordo. Há muitos anos que tenho esse posicionamento. Chega de igrejismo no movimento Espírita.

    Curtir

  19. Allan Kardec da Silva disse:

    Por todas essas considerações que eu aceito, mesmo por isso, ainda assim, eu preciso ver o que está por trás desse documento, das intenções que não ousam se declarar.

    Curtir

  20. Da forma como tem atuado as entidades que regem o espiritismo, atualmente, nao diferem em muito dos preceitis dogmaticos emplantados pelos demais entes religiosos. Em boa hora nos chega a proposta de emancipaçao do espiritismo. A evoluçao que estamos vivenciando, se coadunam com as leis que regem o universo, em especial o livre arbitrio, que são movimentos livres, com responsabilidade de todos sobre seus proprios atos.

    Curtir

  21. Everaldo Cosme disse:

    O espiritismo também tem responsabilidade sobre a evolução do planeta terra, mas sem partidarismo.

    Curtir

  22. Jorge Dantas Young disse:

    Com certeza precisamos de um Doutrina que traga a leveza de Kardec.
    Um movimento espírita e não destes espíritas que trafegam na “contra mão “.

    Curtir

  23. Almir Del Prette disse:

    Sou favorável ao manifesto. O teor do manifesto é amplo para abranger as várias facetas do movimento espírita atual e aborda, de maneira clara, as principais questões da doutrina.

    Curtir

  24. Eugenio olimpio de Moraes disse:

    Deixo aqui todo meu apoio a esta iniciativa, amo, respeito e tolerância.
    Colocando sempre Kardec como base e referência, parabéns!

    Curtir

  25. Não é um comentário e sim uma pergunta:
    O que é espiritismo kardecista?

    Curtir

  26. Plauto Giani Gonçalves disse:

    “(…) Ninguém tem condições intelectuais e espirituais para superar Kardec – simplesmente pelo fato de que Kardec não é um autor isolado, um solitário do pensamento, mas o Codificador, assessorado na Terra pelos companheiros de missão e assistido do além pelos Espíritos do Senhor. A obra que nos deixou não é dele, como ele mesmo sempre o afirmou, mas dos seus mestres espirituais. A Doutrina que nos legou não é o kardecismo, mas o Espiritismo, ou seja a Doutrina dos Espíritos.” (Herculano Pires, Introdução da obra O que éo Espiritismo. Lake, 27 Edição.)

    Curtir

  27. Pingback: Por mais pluralismo de ideias | SerTão Espírita

  28. EDUARDO DA CRUZ BARRETO disse:

    Já mediram as consequências? Conhecem quantos livros publicados por médiuns, se dizendo espírita em franca contradição com a doutrina e os princípios cristãos? É ainda possível prescindir na terra de uma instituição ou lideranças que coordenem e analisem criticamente? Cuidado, ainda não entendemos Kardec e muito menos Chico, principalmente as obras de André.

    Curtir

    • Dora Incontri disse:

      Olá, Eduardo! Ao contrário do que está dizendo, justamente estimulamos a crítica e o debate em torno de livros mediúnicos e das ideias espíritas, como propunha Kardec. Lideranças há e sempre haverá. Mas não precisamos de tutela institucional. Não precisamos de um Vaticano que nos diga o que ler e o que não ler. Somos espíritos e espíritas livres!

      Curtir

  29. ROBERTO CORBO disse:

    Apenas como reflexão, uma frase de Madre Tereza de Calcutá que diz “As mãos que fazem valem mais que os lábios que rezam”.

    A colaboração da codificação por Kardec muito impulsionou o movimento espirita, mas como ele próprio deixou, nem tudo foi codificado. Pois está aí justamente o ponto primordial do espiritismo, sua constante evolução e dinamismo de acordo com o estágio dos seres.

    Apoio sim o manifesto até porque muitos oradores se detém “engessadamente” somente ao que está posto e não abre novos conceitos diante ao dinamismo deste estudo que evolve energias e mudanças de comportamento, por isso, a frase acima.

    Curtir

  30. Maria da Conceição Nóbrega de Medeiros disse:

    Concordo com tudo o que foi dito. Maria da Conceição Nóbrega de Medeiros- Campina Grande- PB

    Curtir

  31. Pingback: Manifesto por um espiritismo kardecista livre – IMPRENSA LIVRE

  32. Emídio Luís dos Santos disse:

    A ideia do espiritismo elevado a categoria de religião dificulta muito no seu verdadeiro propósito. A Doutrina espírita é uma Ciência a serviço do ser humano, tendo por meta principal o desenvolvimento do senso moral do indivíduo, para vivenciar seus postulados é preciso observar, e estudar, sob a luz da razão e do bom senso coisa que somente com o apoio da filosofia isso será possível.

    Curtir

  33. César Alexandre Andrilli disse:

    Observe como preocupação os nossos Espíritas hoje, ficam presos romances água com açúcar lendo e relendo os livros de Kardec sendo que o mesmo disse que o espiritismo evoluiria e que seus adeptos deveriam estudar e compreender que a mesma filosofia iria mudar com o tempo, não em sua essência mas em alguns assuntos. Boa tarde

    Curtir

  34. Emídio Luís dos Santos disse:

    No Brasil, o espiritismo corre um sério risco de se transformar em uma religião dogmática basta observar as características dos brasileiros são idólatras, não tem hábito de leitura, e não costumam fazer uso do senso crítico. Dizem que o espiritismo tem três aspectos, em primeiro lugar o termo ASPECTOS é um substantivo que segnifica aparência exterior maneira pela qual algo ou alguém se apresenta, e isso não está de acordo com as diretrizes apresentadas por Allan Kardec. A Doutrina espírita tem suas próprias bases é uma Ciência de observação com objetivos bem definidos e muito bem elaborados, não tem ASPECTOS tem propostas fundamentadas nos mesmos parâmetros das outras Ciências cujos os objetivos são de elevação moral tendo por base a filosofia.

    Curtir

  35. Ednaldo Carmo disse:

    Sou trabalhador do Centro Espírita mais antigo da cidade de Jundiaí e concordo plenamente com este manifesto. Temos que defender o Espiritismo de Kardec, espalhando os ensinamentos de Jesus sem dogmatismo e fanatismo.

    Curtir

  36. Com todo respeito aos que pensam assim, a mim me parece mais um movimento idêntico ao da “Teologia da Libertação Espírita”. Espiritismo é ciência, filosofia e moral. O resto é atavismo de quem pensa que domina o entendimento da Doutrina.

    Curtir

  37. Elenice Monteiro disse:

    Também concordo com o Manifesto.
    Vejo nele uma oportunidade de discutir pontos que há algum tempo me incomodam ao frequentar Centros Espíritas, seja em palestras ou em cursos, por verificar um certo ranço dogmático e com isso comprometendo o princípio da Fé raciocinada.
    A base do Espiritismo, o tripé Fé, Filosofia e ciência está fora de equilíbrio, pois o que vejo é a mistificação da fé e muito pouco da Ciência e Filosofia sendo discutidas.E não entendo como a fé pode ser raciocinada se não tivermos também desenvolvida a Ciência e a Filosofia.
    Em paralelo precisamos nos posicionar frente aos grandes desafios de nosso país, mas o que vejo é um distanciamento de nossas instituições espíritas e quando alguém com certa representatividade fala, é um desastre.
    Que esse primeiro manifesto dê bons frutos guiados pelos ensinamentos de Jesus e de Kardec
    Elenice Monteiro – SP

    Curtir

  38. Sou espirita vão fazer uns dez anos, mas fico preocupado também com o forte desconhecimento e até a preferência de não conhecer a realidade histórica do Brasil de muitos espíritas os quais convivo. Com indulgência e seguindo a linha Cristica procuro ver com humildade e serenidade, mas me assusto, porque é impressionante a mistificação a que ficou reduzida o Centro Espirita o qual frequento; o alinhamento com propostas obscurantistas oriundas de uma conjuntura politica francamente antifraterna, logo profundamente anticristã. Esse Manifesto é uma necessidade do momento. Assino.

    Curtir

    • Sou espirita vão fazer uns dez anos, mas fico preocupado também com o forte desconhecimento e até a preferência de não conhecer a realidade histórica do Brasil de muitos espíritas os quais convivo. Com indulgência e seguindo a linha Cristica procuro ver com humildade e serenidade, mas me assusto, porque é impressionante a mistificação a que vejo em muitos comentários de espíritas e o alinhamento com propostas obscurantistas oriundas de uma conjuntura politica francamente antifraterna, logo profundamente anticristã. Esse Manifesto é uma necessidade do momento. Assino.

      Curtir

  39. Marco Borges disse:

    Apoio e desejo ser signatário !

    Curtir

  40. Adriano Correa Lima disse:

    Apoiado. Adriano Correa Lima, BRASÍLIA-DF

    Curtir

  41. Cláudio Luis disse:

    Quanta bobagem. Quanta perda de tempo, e gasto de energia. O mundo cheio de necessidades, e surgem estas discussões estéreis.

    Curtir

  42. Em primeiro lugar há a necessidade de entendermos que a Doutrina é dos Espíritos (Superiores para cima) e não é personalíssima, portanto, a adjetivação “kardecista” é invencionice dos brasileiros religiosamente alinhados com uma casta hierarquizada. Espiritismo é simples. Quem complica são os seus “sacerdotes”.

    Curtir

  43. Ronaldo Luiz Conde Pereira disse:

    Sugiro que aprofundem seus estudos sobre o Espiritismo. … e que Jesus os abençoe.

    Curtir

    • Dora Incontri disse:

      Olá, Ronaldo, é bastante pretensiosa a sua recomendação. Eu pessoalmente estudo o espiritismo desde 11 anos de idade, tive a orientação segura de Herculano Pires, fiz meu doutorado na USP sobre Pedagogia Espírita e já escrevi mais de 40 livros, que são referência para muitos espíritas, a maioria dos quais têm relação com espiritismo e educação. O nosso grupo da Associação Brasileira de Pedagogia Espírita, que foi fundada em 2004, tem se dedicado a estudos, publicações, congressos – tudo com muita profundidade e coerência. É absurdo alguém usar como argumentação contra nossas ideias a recomendação arrogante de estudo. Sugiro que você procure estudar o que temos produzido em conhecimento até aqui: livros, blogs, programas de rádio, seminários, DVDs, etc. Pode discordar de nossas ideias – isso é natural. Mas com argumentos tão embasados quanto os nossos! Dora Incontri

      Curtir

      • Ronaldo Luiz Conde Pereira disse:

        Dora. Perceba que não estou me opondo a você. Estou fazendo uma recomendação. Sua leitura está equivocada. Tanto para o que comentei, quanto para o Espiritismo. O que me faz intensificar na recomendação. Neste caso … estude mais ainda. Vou lhe dar alguns exemplos de equívocos em seu manifesto [têm diversos]: 2) Consideramos Allan Kardec a referência fundamental do espiritismo … . Erro grave. Kardec foi o codificador. Jesus é a referência fundamental. Outro: 4) Compreendemos que o espiritismo está em permanente construção, em diálogo com a pesquisa científica, … , a observação empírica … . Outro erro grave. Pesquisa científica e empirismo são divergentes por natureza. Outro mais, apenas pra encerrar meu comentário [ainda têm muitos outros]: 5) Entendemos que a ética espírita …, em prol da transformação social [errado: em prol do indivíduo]; portanto, devemos marcar posição contra a violência de qualquer espécie. “Marcar posição contra a violência”. Quanta violência !

        Curtir

  44. João disse:

    A “institucionalização” (aqui entendida como espécie de encarceramento e/ou prisão) que se está tentando “combater” com este manifesto está unicamente no próprio pensamento daqueles que o elaboraram, e em nenhum outro lugar.
    Criticam veladamente e FEB e as Federativas estaduais sem nenhuma disposição para auxiliar, uma vez que o movimento está sempre aberto aos de boa vontade que se dispõem com humildade a contribuir.
    Querem reconhecimento sem trabalho e sem boa-vontade.
    O melhor caminho é o trabalhar em suas casas, assumir a liderança de atividades e projetos locais e, assim, ingressar nas federativas, com abnegação, disposição, boa-vontade e, acima de tudo, humildade. Desse modo poderão efetivamente enriquecer o Movimento e (supostamente) “libertar o pensamento espírita”, como dá a entender o Manifesto.
    Criticar de longe, não vale! As estruturas democráticas, assim como as do Movimento Espírita, previnem oscilações demasiadas nas opiniões e eventuais equívocos, mas, em compensação, demandam um certo trabalho e tempo (inclusive para modificações). Estamos todos os espíritas do Brasil convidados a auxiliar a FEB e as Federativas, mas temos que trabalhar com humildade e abnegação.

    Curtir

    • Dora Incontri disse:

      Olá, João, humildade, como antigamente se pregava em relação à Igreja Católica, geralmente significa submissão, renúncia ao pensamento crítico, impossibilidade de debate livre… enfim, tudo o que é contrário ao espiritismo em sua essência. Eu pessoalmente, trabalho desde os 15 anos de idade pelo espiritismo, como médium, como oradora, como escritora, como estudiosa e pesquisadora e conheço a maior parte das lideranças espíritas no Brasil, sendo amiga de muitas delas, que são das federativas. Mas sim, o movimento se tornou igrejeiro e opressor, e isso Herculano Pires, meu mestre, já observava na década de 70. É preciso libertar os espíritas das tutelas institucionais. Quem se sentir confortável com elas, que fique submisso às estruturas. Dora Incontri

      Curtir

  45. Murilo Beres disse:

    Sendo um manifesto, creio estarem declarando ideias que é consenso para os assinantes.
    Assim não vejo o manifesto querendo ferir nenhuma ideia espírita, pelo contrário o mesmo defende a livre expressão das diversas formas de manifestação da doutrina. Também não vejo como objetivo ferir nenhuma instituição. Discussões sobre assuntos doutrinários contemporâneos e uma análise profunda das necessidades reais e atuais das instituições é muito bem vinda nos dias que vivemos.
    Torço que o manifesto possa nos ajudar a refletir sobre nossa conduta de espíritas como indivíduos ou representantes das instituições.
    Se minha visão sobre o manifesto estiver correta, não vejo motivos para não assinar.
    A evolução das instituições parte de nossa evolução na percepção das mesmas.

    Curtir

  46. Hilton Dominczak disse:

    Vamos direto ao ponto: o que nos entristece é notar que a grande maioria dos espíritas tem pensamento e atuação reacionárias, como por exemplo o apoio ao golpe que destituiu nossa presidente, e o voto no atual presidente. Ou seja, os espíritas brasileiros colaboram para que a injustiça social permaneça. Todo o apoio a esse Manifesto mais do que necessário. A Doutrina Espírita é progressista, não é e nunca foi conservadora.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s