Desumanização no movimento espírita

Atzinas-11

O assunto é pesado, mas não podemos nos omitir em tecer algumas reflexões em torno de um episódio ocorrido dias atrás na Federação Espírita do Estado de São Paulo. Chequei a informação em diversas fontes, antes escrever esse texto. Resumindo, para quem não soube ou não leu nas redes sociais, um companheiro espírita, Claudio Arouca, ficou desaparecido mais de 48 horas e a última notícia que se tinha dele era de que ele estava na FEESP. A família, depois de algumas horas do desaparecimento, desesperada, procurou a instituição e, pelo que narraram, não foi acolhida, não lhe foram fornecidas as gravações das câmeras e ninguém procurou pelo desaparecido. Apenas 48 horas depois, receberam da própria FEESP um telefonema dizendo que o corpo tinha sido encontrado no banheiro. Mas nem assim, foram melhor tratados. Não puderam ter acesso imediato ao familiar que havia morrido de um enfarte, porque estava havendo uma festa na Federação.

Só depois de muitas horas, o corpo já em putrefação, de que não puderam fazer nem velório, foi retirado. Além de todo surrealismo da situação, ainda foram destratados pela diretoria.

Esse episódio não me surpreende porque há muito que a FEESP é uma instituição onde a briga por cargos e poder já levou até a polícia lá para dentro, onde a impessoalidade é a tônica da uma instituição que cresceu tanto que perdeu o o caráter de acolhimento humano – o que se revela no extremo de uma situação como essa, que aqui comentamos.

O problema é que a desumanização de instituições espíritas tem sido um sintoma muito grave de parte do movimento.

Sem dúvida que esse movimento reflete um cenário do mundo pós-moderno, hipercapitalista, em que o ser humano está cada vez mais perdendo as referências de ser humano. Justamente na semana desse acontecido, havia lido uma reportagem pavorosa no El País, em que se conta de pessoas que têm sido encontradas mortas há 3, 4, 5 anos na Espanha, mumificadas pelo clima seco e de que ninguém deu pela falta delas. Nenhum contato na vizinhança, pessoas sem familiares, sozinhas, solitárias, abandonadas.

Há algo mais estarrecedoramente desumano e triste do que essa morte sem nenhum afeto, sem nenhuma presença, sem nenhum cuidado?

E, de repente, vemos um fato como esse do companheiro Claudio Arouca (que os Espíritos bons cuidem dele como devem estar cuidando!), ocorrer dentro de uma instituição que se diz espírita!

Cabe-nos, portanto, questionarmos o que estamos fazendo enquanto movimento para nos diferenciarmos e resistirmos a essas tendências do mundo pós-moderno, em que o ser humano nada vale e não é notado olhos nos olhos e respeitado enquanto pessoa?

Kardec achava que os melhores centros espíritas (e isso está no Livro dos Médiuns) são centros pequenos, familiares, onde todos se conhecem e se gostam, pensam de forma afinada, estejam em sintonia afetiva e espiritual. Ora, no Brasil, há centros que viraram Igrejas, frequentados por multidões, impessoais – tem até alguns com catraca eletrônica – onde não há nenhum aconchego, nenhum olho no olho e se alguém que, mesmo frequentando a instituição há anos, tiver um comportamento fora da regra, é reenviado ao atendimento fraterno e se reincidente, expulso sem compaixão.

Claro que nada disso tem a ver com princípios como fraternidade, amor ao próximo, caridade ou o que se queira evocar. São centros em que a burocracia tomou o lugar da relação humana e afetiva. Ora, é evidente que num contexto desses, os Espíritos superiores não podem atuar.

É que se observa nesse caso da FEESP. Das pessoas que foram contactadas pela família (não sei quantas foram), por que não houve nenhuma que sentiu qualquer inspiração que o desaparecido estivesse ali na casa? Os Espíritos amigos do desencarnado e da família não tiveram a mínima brecha positiva para inspirar alguém. A desumanidade leva ao endurecimento e ao empedramento da mediunidade.

Tudo muito triste. Mas é necessária uma reação enérgica e vital. Saibamos de novo nos reunir em grupos pequenos, saibamos de novo cultivar amizades sólidas em grupos afins, em que cuidemos uns dos outros, com preocupação e empatia, sintonia e abertura para a inspiração do Alto.

Ainda é tempo de retomarmos o Espiritismo caseiro, onde os Espíritos bons se comunicam, em que todos estudam e participam espontaneamente, sem hierarquias e disputa por cargos. Que o amor despojado seja a tônica das relações entre encarnados e entre encarnados e desencarnados!

 

Anúncios
Esse post foi publicado em ética, Movimento Espírita e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

128 respostas para Desumanização no movimento espírita

  1. Perfeita colocação. A questão do tamanho dos centros foi simplesmente ignorada mesmo. O espiritismo não é para “lotar estádios” e inclusive tenho evitado eventos com essa “magnitude”, a coisa fica desvirtuada mesmo. Estamos precisando rever muitas coisas desse tipo. A falta de humildade e a falta de acolhimento estão levando a falhas desse tipo. Não bastasse isso, estamos inseridos dentro de um sistema que não dá para ignorar também, o que os profissionais tem percebido. No velho mundo teve essa reportagem do El Pais e, ainda, também em São Paulo ainda teve o caso os moradores de rua acordados com jatos de água num dos dias mais frios do ano. Não tem como não lembrar da música talentosa do doce e talentoso “Criolo” que diz numa música-protesto “Não Existe Amor Em SP” que fala sobre o abismo entre as pessoas, a solidão e o crescente fascismo, tudo em convergência com esse acontecido infeliz, levando a crer que precisamos realmente, além de pregar a doutrina do Cristo, quer era todo amor, vivê-la.

    Curtido por 1 pessoa

    • Marcia Martinho disse:

      Concordpo com tudo o que você disse. Menos com a citação do suposto caso dos moradores de rua acordados com jatos de água. Isto não aconteceu. O sub prefeito da região foi contatado e provou, com os vídeos das câmeras de segurança do bairro, que nada disto aconteceu.

      Curtir

    • Valquiria disse:

      Concordo plenamente com o caso no Centro Espirita, mas em São Paulo…é leviandade falar o que estão postando de falsidade, isso é um julgamento infeliz.

      Curtir

    • Não lembram as palavras de Atos 2,32-35:

      As primeiras comunidades cristãs eram um só coração e uma só alma.
      Tudo entre eles era comum.
      Aceitação do Testemunho dos Apóstolos.
      Não havia necessitados entre eles.
      Vendiam seus bens e os depositavam aos pés dos apóstolos.
      Distribuição a cada um segundo a sua necessidade.
      Hoje estão mesmo é afim de vender livros e falar mal dos irmãos menos favorecidos. Gostam de criticar movimentos sociais, de enaltecer políticos que maltratam o povo sofrido e principalmente de receber os aplausos do mundo, de viverem sob holofotes.

      Curtir

    • Vanilda Lima Guimarães disse:

      É verdade! A cada dia a desumanidade está crescendo, eu já havia percebido esta frieza das pessoas, nos grandes centros. Talvez seja pelo o fato da criminalidade, que as pessoas estão desconfiando até da própria sombra. Mais tem pessoas e pessoas, porque eu percebo também, que tem pessoas de centro pequeno, que às vezes lê muito, conhecem todos os frequentadores, mas não põe em prática o que lê e são egoístas, mercenárias, falastronas, só enxergam os defeitos dos outros e os delas, elas não ver. Infelizmente a humanidade ainda não aprendeu a doutrina do Cristo, que é o AMOR, e a prática do bem, sem olhar a quem … Infelizmente, vamos vivenciarmos estas atitudes a cada dia, porque somos falios. Mas como o planeta está passando por uma regeneração, logo vamos reecarnarmos em outro planeta. Temos que orarmos mais e a cada dia, vigiar as nossas atitudes. Porque seguir os 10 mandamentos até então, só o Cristo seguiu na íntegra. Desculpa-me se falei besteiras, mas é o que eu sinto. Mas vamos nos unirmos em pensamentos positivos, orando e pedindo ao Pai e toda a espiritualidade de luz, para que possam​ interceder nesta humanidade, na forma de viver e agir… Um grande abraço fraterno!

      Curtir

      • fábio de souza amaral disse:

        eu penso ,que centro espirita pequeno ja foi tempo . se pensarmos assim ,não vamos levar a doutrina para outras pessoas ,por que teremos que abrir um milhão de centros espiritas , uma estrutura menor. confersa fiada ,, somos ipocritas ,e não emxergarmos isso em nós .não é o tamanho do centro , somos nós o problema. tem que crescer sim . temos e que saber viver o que a doutrina nos prega . uma ou duas ,não quer dizer nada . aquele tempo já passou. daqui a pouco , vamos escolher quem deve ficar ou não dentro centro . isso já acontece em algumas religiões por ai . esses presidentes donos da verdade ,é que estão provocando esse mal em alguns centros espiritas em nosso pais isso sim. para mim ,o movimento espirita não é assim não . estamos confundindo são paulo com o restante do o pais.

        Curtir

    • Maria Helenice disse:

      Discordo do Criolo em muitas coisas e a principal é dizer que não há amor em SP. Mentira! SP e a capital do estado tem vocação para ajudar o próximo. Não há estado no Brasil com tanta generosidade como SP. O que incomoda o Criolo é o estado e a cidade não estarem na mão dos seus amigos comunistas. Ele sempre tem esse discurso. Ah..em tempo: não sou de SP, mas de MG, então não é bairrismo.

      Curtir

    • Heitor Zanini disse:

      Oque é tão grave quanto essa desumanização generalizada é a maneira como estão tratando o povo através de noticias falsas ou manipuladas ao gosto de certas ideologias. A imprensa esta claramente tendenciosa e isso nos leva a desacreditar dessa instituição tão importante para todos. Lamentável que
      Quanto a situação dos centros espiritas, a muito tenho notado essa tendência negativa e inclusive me afastei da doutrina juntamente com minha família e alguns amigos.

      Curtir

      • Não tenho disse:

        Doutrina Espírita e Centro Espírita São coisas diferentes. Nós podemos nos afastar do Centro mas da Doutrina nunca.
        Sabia Silveira

        Curtir

    • Marcos José disse:

      Lembram da parábola da vinha? ….ela é a mais fidedigna ilustração da aristocracia espírita brasileira.

      Curtir

      • Marcos José disse:

        “Ouçam outra parábola: Havia um proprietário de terras que plantou uma vinha. Colocou uma cerca ao redor dela, cavou um tanque para prensar as uvas e construiu uma torre. Depois arrendou a vinha a alguns lavradores e foi fazer uma viagem. Aproximando-se a época da colheita, enviou seus servos aos lavradores, para receber os frutos que lhe pertenciam. “Os lavradores agarraram seus servos; a um espancaram, a outro mataram e apedrejaram o terceiro. Então enviou-lhes outros servos em maior número, e os lavradores os trataram da mesma forma. Por último, enviou-lhes seu filho, dizendo: ‘A meu filho respeitarão’. “Mas, quando os lavradores viram o filho, disseram uns aos outros: ‘Este é o herdeiro. Venham, vamos matá-lo e tomar a sua herança’. Assim eles o agarraram, lançaram-no para fora da vinha e o mataram. “Portanto, quando vier o dono da vinha, o que fará àqueles lavradores?” Responderam eles: “Matará de modo horrível esses perversos e arrendará a vinha a outros lavradores, que lhe deem a sua parte no tempo da colheita”. Jesus lhes disse: “Vocês nunca leram isto nas Escrituras?
        ” ‘A pedra que os construtores rejeitaram
        tornou-se a pedra angular;
        isso vem do Senhor,
        e é algo maravilhoso
        para nós’. “Portanto, eu digo que o Reino de Deus será tirado de vocês e será dado a um povo que dê os frutos do Reino.
        Mateus 21:33-43

        Curtir

  2. Demetrius Gomes disse:

    Enquanto evangélico meto minha colher enferrujada para dizer que esse processo é transversal, chamo isso de “gosperização” já naturalizada no meio evangélico e que agora avança para várias religiões, e o questionamento é mesmo: Voltar aos pequenos grupos, as igrejas onde todos se conheçam, se descolar do egoísmo e do evangelho ancorado na prosperidade, consumismo, consumismo e individualismo atroz, falo desse lugar, mas observo o avanço dessa cultura sobre todas as religiões nesse momento no Brasil…

    Curtir

  3. Celina disse:

    Assustador isso, Dora. Em 2009 estive na Federação Espírita de SP. Era a primeira vez que visitava a cidade e fui logo lá, conhecer a instituição. Fiquei assustada com o que vi. Entrei com uma amiga e ninguém nos abordou, não deram bom dia, olá, sejam bem-vindas, nada. Além de, logo na entrada, no salão do térreo, ter visto um carro novo em exposição, como em uma concessionária. Fiquei tão impressionada que parei uma senhora para perguntar. O que ela disse era que era uma rifa para ajudar na reforma da instituição. Achei aquilo muito estranho. Não sei se era verdade, mas fiquei tão incomodada que não acreditei. Depois fui até um andar que tinha uma sala enorme com várias mesas para atendimento fraterno. Eram muitas mesmo, nunca tinha visto aqueli. Não havia divisórias, não era um espaço respeitoso para alguém que poderia chegar ali querendo falar sobre dores muito pessoais. Depois fui até outro salão onde seria a palestra. mas não fiquei para os eventos do dia. Sai de lá sentindo o frio de uma instituição que cresceu e perdeu simplicidade.

    Curtir

  4. Nilo Sergio disse:

    Sou espírita crítico.

    Curtir

  5. Roberto Ribeiro disse:

    O problema não está nos centros. Nos centros pequenos as relação são pessoais, tradicionalistas onde se formam o grupo do “nós”. Onde os novos integrantes tem grande dificuldade de se inserir, são tratados como estranhos perigosos da “rua”. Muitas vezes, por causar estranhamento, são convidados educadamente a se retirar ou lhes é indicado outro centro. A fraternidade e o respeito não ultrapassa aqueles que se identificam pela classe social ou cor da pele. Nos centros grandes os grupos do “nós” permanece fechado, porém há a relação com os “outros”, os estranhos da “rua” que tem o acesso limitado e controlado. Com o grupo dos da “rua” as relações são impessoais e bem definidas por regras muito das vezes moralistas. Percebe-se que o problema não está nos centros pequenos ou grandes e sim em nós todos, brasileiros embebidos por uma cultura hierarquizada e, nosso estágio ético e moral que tem base no individuo e não no ser humano genérico.

    Curtir

    • Marilia Menezes disse:

      Dirijo um Centro pequeno em Recife e, absolutamente não existe o grupo do “nós”. Todos os que chegam são bem vindos, acolhidos e estamos sempre buscando integrar ao grupo, aqueles que se mostram interessados. Portanto, não se pode generalizar. Falhas sempre existirão, somos seres em processo de evolução e por esse motivo estamos encarnados.

      Curtir

  6. Luciana Nunes disse:

    Só não entendi uma coisa, a família foi informada q ele foi encontrado morto no banheiro e a polícia não? O corpo ficou lá esperando acabar uma festa e a polícia não foi informada nem pela família? O banheiro a Feesp não foram interditadas p perícia? Como assim?

    Curtir

    • Maria Monteiro disse:

      Oi Luciana…!!!!!!!!!!!! Sou amiga do Claudio…mas resido em outra cidade no interior de SP…Ate onde sei…me parece que eles não informaram mmo a policia…ou a providencia contra a federação realizada mais tarde…..Eu acredito que o desespero para encontrar o Claudio era tanta…que talvez nem pensaram em policia…acho que se fosse comigo..eu tbm não pensaria…!! Mas o fato…que me deixou chocada…foi o descaso de onde deveria vir o acolhimento.
      Realmente as piores atitudes vem de onde menos espera…!!!!!!!!!!

      Curtir

  7. Celso Vieira disse:

    nos espíritas estamos precisando buscar a simplicidade, a muitos espíritas e digo muito mesmo , que tem uma dificuldade muito grande de ouvir, eles só querem mostrar o que sabe que ja sabe quer até adivinhar o que a gente esta falando e não ouve, esta faltando o que a doutrina mais ensina bom senso caridade porque ouvi é também uma forma de caridade, o que me espanta é que esses que não nos ouvi são os mais antigo de doutrina acham que o tempo na doutrina é posto, mas eu só tenho entre trabalho e estudo 6 anos no espiritismo quanto mais eu estudo mais vejo que devemos ser paciente com os recem chegados ser caridosos ; nos estamos precisando nos evangelisar

    Curtir

  8. Chirley Porto disse:

    Verdade! !!
    Momento de reflexão. ..

    Curtir

  9. VITAL ARGUELHO FILHO disse:

    Sobre o assunto em tela, cabe uma reflexão… Houveram muitas tentativas da espiritos superiores para evitar o atual estado do qual se encontra o movimento Espírita. Enfim sigamos em frente

    Curtir

  10. Moacir disse:

    Me desculpem , mas as federações precisam repensar ,um pouco mais. Deixar de se esconder atraz de Kardek.e ver as verdades di dia a dia.

    Curtir

  11. Maria das graças angelo disse:

    É, muito triste saber de uma coisa dessa, sou espírita por opção essa é a filosofia onde me encontrei e ficou bastante chateada quando se depara com assuntos dessa maneira que Deus proteja todos nós.

    Curtir

  12. Wanderley Oliveira disse:

    Não é sem razão, Dora Incontri, que trabalho quanto posso, em mim, e na humanidade, para espalhar os ensinos de Ermance Dufaux sobre o afeto e a humanização. Lamentável o fato, mas esperado em um movimento que já faliu a décadas. Deus ampare os familiares do Sr. Claudio.

    Curtir

  13. Rinaldo Paulino disse:

    Esse é um fato lamentável, mas não incomum. Recentemente, fui excluído de uma instituição espírita, onde atuei por mais de trinta anos, em razão de ter indagado sobre procedimentos administrativos como prestação de contas, atas de assembléia, cumprimento do estatuto, legalização imobiliária, etc. Numerosos companheiros no exercício da direção de Centros tornar-se oligarcas, transformando a instituição numa propriedade hereditária e política, onde os diversos cargos são distribuídos àqueles que comportam-se de forma subserviente e omissa, compactado com o suposto poder do mandatário. Não obstante, o tom igrejeiro, que outorga o rótulo de “religião” à doutrina espírita é outro tropeço grave que tem dado esse tom de indiferença aos nossos companheiros de jornada e causado o esvaziamento do chamado “movimento espírita”(imóvel) na aclamada Pátria do Evangelho! Falei, pronto. É que venham os mimimi.!

    Curtir

  14. Lamentável! Claudio Arouca, está bem assistido por aqueles que sabem acolher de verdade – através dos guias de outra casa, sob a luz da Umbanda, e foi encaminhado por verdadeiros espíritos espíritas – na Colônia Eurípedes Barsanulfo.

    Curtir

  15. Joana Abranches disse:

    Definiu, Dora!!!… Diagnóstico certeiro: DESUMANIZAÇÃO em nome da burocracia e da ilusão dos pequenos poderes temporais conferidos por cargos institucionais. Graças a Deus e à nossa cautela, dirijo um grupo pequeno, familiar, onde cuidamos uns dos outros e, paralelamente, de quem chega, com muita amorosidade. São 4 pessoas apenas na mediúnica, pessoas que se gostam, que não se escondem atrás de uma pseudo santidade e que não se melindram, porque tem consciência das suas fragilidades comuns e confiam umas nas outras.O resultado tem sido surpreendente!!!… Amor, simplicidade e pé na realidade, sobretudo na nossa realidade íntima, que não nos outorga nenhuma superioridade uns sobre os outros… consciência de que estamos todos no mesmo barco e que, acima de todas as regras, está o dever e a grata alegria de amar e acolher. Pena que o movimento está tão distante disso… é por essas e outras que o grupo não é Casa adesa à Federação estadual. Aderir seria ter que dançar conforme a música da desumanização disfarçada de “unificação”… preferimos ser adesos a Jesus!!!… sem medo de sermos felizes!!!… e somos!!! Grande abraço!!!

    Curtir

    • Marcus Braga disse:

      As pessoas aqui e no FB estão discutindo questões pontuais do texto, flax flu político, defesa da atuação do ator A ou B, o fato em si. Mas não é isso que o texto traz e o que ele destaca. O texto trata do pano de fundo, de estarmos com um modelo de giga casas espíritas, impessoais, sem acolhimento, o que favorece uma pessoa ser acometida de um mal subito, e não notarmos. Ele se prende a questão de o que queremos com esse modelo de espiritismo de massa, de grandes eventos, mega casas, muito movimento, camisas, crachás, diplomas e com isso se perde em humanização, em contato, em interação. Essa é a ideia central!

      Curtir

  16. Adailsa Batista disse:

    É difícil aceitar que o Movimento abrigue pessoas em que o empoderamento ocupe o lugar da sensibilidade , da solidariedade , da caridade e do AMOR . Voltemos ao início e sigamos os passos de JESUD

    Curtir

  17. Carlos Gomes disse:

    Há um tempo que tenho questionado em relação ao acolhimento em uma Casa Espírita ou num evento Espírita. Tenho percebido que os Centros e Eventos se transformaram num “cada um por si” e Deus por todos. Não se tem o hábito simples de um “boa noite” para aquele que está sentado ao lado, dentro de um Centro Espírita. O outro não existe, só o meu problema, só a minha sede de conhecimento. Lamentável.

    Curtir

  18. Gilson Ferreira Nobre disse:

    Vamos ter cautela no pré julgamento, Pois só estamos conhecendo um lado da histotia.
    Preces é o recomendável. Gilson Nobre.

    Curtir

  19. ARNALDO PARDAL disse:

    É TRISTE MUITO TRISTE UM ACONTECIMENTO COMO ESTE JUSTAMENTE NA CASA QUE FOI ESCOLHIDA PARA UNIR TODOS OS ESPIRITAS SEM DISTINÇÃO O EDGARD ARMOND DEVE ESTAR SE REVIRANDO NO TUMULO QUE A FAMILIA DO CLAUDIO SEJA CONFORTADA PELA ESPIRITUALIDADE POIS NÓS AQUI NA TERRA CONTINUAMOS A NOS AFASTAR DE DEUS UMA PERGUNTA SERÁ QUE NA FEDERAÇÃO EXISTEM ESPIRITAS DE VERDADE CHICO CHICO QUANTA FALTA NOS FAZES

    Curtir

  20. Cesar Augusto disse:

    Texto claro, porém, respeitosamente, discordo de alguma opiniões. O problema não foi, não é e nem será a doutrina espirita, mas as pessoas, sempre serão as pessoas. No momento que os espiritas forem EXEMPLOS, isso não acontecerá mais.

    Curtir

  21. Primeiro é necessário lembar que a federação espírita não é mais federação. A USE faz esse papel. A antiga federação se tornou um centro enorme mais materialista do que espírita. Todos nós temos que tomar o devido cuidado para não ocorrer o mesmo conosco. Há muito luto pela pureza doutrinária dentro do centro, pela disciplina espírita e pela observância da verdadeira caridade fraterna entre os integrantes do centro. Foi por fazer isso que entendi o que Jesus quis dizer quando ensinou “Eu não vim trazer a paz e sim a espada”. Você vira alvo de críticas, te chamam de elitista, arrogante porque acha que sabe mais que todo mundo.

    Curtir

  22. Renilda castrilo da motta disse:

    Lamentavel saber que a federação espirita do estado de são paulo tenha ajido dessa forma com a familia desse irmão .

    Curtir

  23. Terezinha Ramos disse:

    Penso que a FEESP deva ser ouvida – mas realmente é lamentável que situações como essas ocorram. A casa espírita, como qualquer outra instituição por certo deve ter seus dirigentes, porém tudo dentro da fraternidade, respeito, ética, enfim, dento do Fora da Caridade não há Salvação. Grata.

    Curtir

  24. Cesar disse:

    Vocês sabem por qual motivo as igrejas pentecostais tem alto índice de frequência? Bom, um dos motivos certamente é o acolhimento com que recebem os que ali chegam. Notem que são recebidos na porta de entrada, São direcionados para o salão em que irá ocorrer o culto e de imediato São chamados de irmão. Isto é, ganham identidade. Irmão fulano de tal. Nao importa a posição na sociedade. Na próxima reunião farão questÃo de comparecer com a melhor roupa que tiverem, por entenderam que isso significa respeito. Nas Casas Espíritas? Em muitas delas o indivíduo entra e sai e ninguém bem percebe. Precisamos urgentemente rever nossos procedimentos.

    Curtir

    • Lania disse:

      Concordo com suas palavras. Eu mesma passei por isso ao visitar um centro espírita,em todas as vezes que fui, pouquíssimas pessoas me receberam bem, umas duas me deram “boa noite”. E essas, eram as que nao faziam parte da diretoria, ou presidência pq eles mesmos – em sua maioria- me ignoraram. Falta preparo, humildade e educação…

      Curtir

  25. Cláudia disse:

    Lamentável! Triste! Vamos sacudir a poeira da acomodação e trazer de volta o amor de Jesus para o seio do espiritismo!

    Curtir

  26. Luiza Rocha disse:

    Em 1994, dezembro, estava com minha filha num hospital de SP. Ela havia feito uma cirurgia cardíaca e estava em coma.Depois da entrevista com médicos que a desenganaram sai sem rumo,;triste e sozinha. Havia levado o endereço de um centro espírita de uma médium famosa por seus romances . Entrei, sentei e comecei a chorar. Umas mulheres estavam arrumando o centro . Nem me olharam. Depois de um tempinho, sem se aproximarem.disseram o dia do passe. Enxuguei as lágrimas e fui embora. Precisavá de apoio, aconchego, como sempre encontrei no centro que frequentava. As paredes do tal centro cobertas de reportagens de revistas com fotos da medium

    Curtir

  27. Fernando Furtado disse:

    Frequentei muitos centros espíritas em muitas cidades e desconheço fatos desse nível. Sempre vejo a fraternidade!

    Curtir

  28. Rialma Ravena disse:

    Não frequento mais centros espiritas ou qualquer outra igreja. Leio o Evangelho de Kardec e faço minha oração de pedido de proteção e de agradecimento em todos os dias da semana e peço orientação para os espiritos de luz me darem durante meu sono ( oração para hora de dormir). Fui criada no espiritismo desde sempre. Minha família materna e paterna eram espiritas. Minha primeira esperiência de Evangelho no Lar foi aos oito anos de idade. Sempre um adulto se revezava em ficar com as crianças. Eu era a mais nova do grupo, mas por um motivo que não sei minha avó pediu que eu passasse a frequentar a mesa. Sentavamos envolta da mesa coberta com uma toalha branca e uma jarra de agua. Aguem lia a oração de abertura pedindo a proteção dos guias espirituais e os esperitos de luz. Lia-se um capitulo do evangelho e comentáva-se esse capítulo trazendo para o nosso cotidiano. Minha tia tem a mediunidade da oralidade e falava os ensinamentos dos guias espirituais da família. Depois falavam espiritos atormentados e alguem se incumbia de orienta-los pedindo que se abissem para luz e para os espiritos que queriam ajudá-los. Depois do desencarne da minha avó que era a médium vidente que observava se não havia um espirito embusteiro querendo se passar por espirito de luz a família deixou de fazer essa reunião semanal.Ou seja faziamos examente aquilo que hoje a Federação e os centros espiritas proíbem.Como todos iam à Federação, cada um procurou frequentar conforme era melhor para seus horários. Eu era adolescente e não frequentava a Federação. Tenho 63 ano e já passei por esperiências tão desastrosas que desisti dos centros espiritas. Cada um que busco, mesmo esplicando que já íi e relí estudando quase toda a bibliografia espirita tradicional, desde o Evangeljo, Livro dos Espiritos, Livro dos médiuns, Pão Nosso etc Ninguem faz uma avaliação do meu conhecimento teórico. Sempre tenho que iniciar um curso. E cada centro usa livros diferentes em seus cursos. Todos da Federação !!!!! Por que tantos??? A doutrina não é uma???? . Passei por orientadores que exemplificavam a diferênça entre os difeêntes graus de evolução usando “raças” e seguimentos sociais (os “nordestinos” são inferiores por isso ou aquilo!!!!!!!!). Obviamente se tal explicação foi possível é por que não haviam espiritos de luz orientando aquela aula. Minha última tentativa foi em um centro pequeno “familiar” em que o palestrante criticou a Dilma chocosamente durante a palestra e disse que o seu guia iria dar uma bronca mas que ele iria falar. Apoós a palestra fui conversar com ele (ele era tabém o diretor do cenrtro) e disse que confiava na Dilma e que tinha medo da volta da ditadura. Ele defendeu a ditadura e disse que se era preciso ouvir a voz do outro lado. Dos torturadores eu perguntei? “sim é preciso ouvir o outro lado” confirmou ele!!!!!! Não voltei mais, como não voltei no que os orientadores do curso defendiam suas idéias poolíticas no curso. Vi isso em igrejas católias e protestantes onde fui a convite de amigos, para batismo,etc. Antes quando me perguntavam qual era minha religião eu respondia que tentava ser espirita por que seguir o Evangelho era muito difícil e eu cometia muitos erros com meus próximos. Hoje quando me perguntam qual a minha religião eu digo que tento ser cristã porque amar a Deus sobre todas as coisas é amar ao próximo como a ti mesmo. E isso é muito difícil de praticar. Perdoem o desabafo.

    Curtir

    • Gisele Parisoto disse:

      Olá querida, muitos passam por isso. E realmente o estudo é importantíssimo, mas os cursos são intermináveis e poucos alunos estão aptos para as atividades, enquanto isso a caridade verdadeira vai ficando de lado e em muitos centros vão se formando grandes doutores das leis, semelhante aos fariseus da época de Jesus. Não desanime, siga seu caminho, estude por si mesma e faça o bem onde vc estiver.

      Curtir

  29. Monica disse:

    Texto necessário! 👏🏿👏🏿👏🏿👏🏿

    Curtir

  30. Priscila disse:

    Amigos das lides espiritistas,
    Deixo aqui a indicação dos livros de Ermance Dufaux. Em todas as suas obras ela nos alerta sobre o caminho para a humanização do espiritismo, para a busca da religiosidade e não religião, deixando claro que muitas são e serão as armadilhas da mente e espírito, como a vaidade e orgulho, que nos farão fraquejar diante do verdadeiro propósito da missão evolutiva.
    Ante o erro, reflete, busca a Deus, perdoa e perdoa-te e recomeça quantas vezes forem necessárias.

    Curtir

    • Ermance Dufaux (livros psicografados por Wanderley que prezam o sentimento mais que a intelectualidade), não são bem aceitos pela FEESP, assim como o doce Chico Xavier é criticado por muitos que buscam a “pureza doutrinária” acadêmica e de maneira direta ou indireta diminuem aquele que provou, com a sua vida, que muitas vezes o intelectual de muito saber e conhecimento é o problema e não a solução na seara espírita. Já vi gente discutir raivosamente se Chico era ou não Kardec (o que pouco ou nada importa), sem esconder o verniz preconceituoso sobre Chico não ser intelectualizado, ser muito sentimento, fraco enquanto Kardec seria o intelectual forte, duro e preparado academicamente (e ambas as visôes desses dois luminares carecem de veracidade total, mas transbordam preconceitos).
      Enfim, falta ao espiritismo hoje sentimento, fraternidade e menos política enquanto sobra arrogância e preconceitos. Sem contar hipocrisia.

      Curtir

  31. joiaman cunha oliveira disse:

    Episodio triste e denunciador que evidencia de forma crucial qual a banalidade que tornou se olhar nos olhos de alguem de perceber seu semelhante como parte de sua caminhada.que esse triste acontecimento sirva de alerta verdadeiro para todos nós.

    Curtir

  32. Marta Magdalena Astorga disse:

    Amei principalmente o último parágrafo, há muitos anos que percebi isto e me afastei de instituições estabelecidas. Toda vez que fiz novo intento, topava no mesmo tipo de entrave, desumanização, ânsia de poder, preconceitos…triste mas real. Creio também que nossa Doutrina é maravilhosa e nos orienta a seguirmos os verdadeiros caminhos Cristãos, cabe a cada um de nós fazer sua própria e única estrada, tentarmos ser melhor do que ontem, fazer todo o bem possível,amar e respeitar nossos irmãos do jeito e condição que forem, tudo a partir de nós mesmo, e para isso meus amados, não precisamos de “instituições”, só de amor e disciplina…infelizmente, sei que é difícil porém,sabemos que somos eternos…um dia chegaremos lá…com muito amor e esperança, Marta

    Curtir

  33. Nuno Emanuel disse:

    Aguardamos pela posição oficial da Federação Espírita do Estado São Paulo. A ética jornalistica e a moral cristã fazem com que ouçamos todas as partes. Até agora, só foi expressa uma opinião de uma pessoa com base em redes sociais. Logicamente, essas não fontes noticiosas credíveis, mesmo que as situações se confirmem. Uma posição neutra partirá de uma investigação policial para apurar acusações tão graves. Depois disso tudo, analisaremos…

    Curtir

  34. Joana disse:

    Acho que antes de escrever uma matéria contando meias verdades é preciso verificar corretamente os fatos e não distorcer, pq vc não escreveu a verdad? ..mas te digo quando tem qq tipo de evento na Feesp as assistências não param ou seja mesmo que tivesse acontecendo qq tipo de festa as assistências espirituais não param, a namorada do sr que faleceu é expositora la e ele estava fazendo uma assistência , ao acabar foi embora mas foi ao banheiro antes e infelizmente ocorreu a fatalidade de desencarnar as portas trancada , a namorada achou que tinha ido embora mas ele sumiu o 9 andar tem poucas assistências e o banheiro quase não é usado …tão mentirosa sua matéria triste isso. enfim no dia do sumisso recebemos no grupo do watz que o namorado da expositora tinha sumido e nisso se passou 48 horas como disse o banheiro do 9 quase não é utilizado ou seja só descobriram depois ou seja não procede a falta de assistência da fessp para com a família pois a mesma achava que ele sumiu na rua. .e tão verdade isso que sou colaboradora no 9 andar e no dia do sumisso no primeiro dia já recebemos um watz assim. ..queridos o namorado da expositora( fulana de tal) esta desaparecido. .ele veio fazer assistência foi embora mas não chegou em casa, vibremos para que ele apareça. ..ai dois dias encontraram o corpo trancado no banheiro que como disse não é muito utilizado , por fim e falta de caridade julgar sem conhecer fatos concretos

    Curtir

  35. Gisele Parisoto disse:

    Muito triste ver o caminhar de uma religião que veio para nos ajudar na reforma íntima e não exaltar a vaidade e o egoísmo. Vemos que o caminho para o bem é longo, já algum tempo sigo meu caminho espiritual independente por não aceitar a doutrinação impiedosa de certos dirigentes espíritas. Vamos voltar as nossas origens, de culto do evangelho no lar e nas reuniões fraternas em que podemos olhar nos olhos dos confrades. Lamentável, que FEESP tome providências.

    Curtir

  36. Ser espírita e ser defensor do Dória é o mesmo que ser cristão e defender Nero

    Curtir

  37. Miriam Maria de Araújo disse:

    Eu. Só sei que nada sei, mas Tenho a certeza q Deus está vendo tudo é sabe.de tudo! Muita Paz para todos nós.

    Curtir

  38. Ângela Andrade disse:

    “Chequei a informação em diversas fontes, antes escrever esse texto.”

    Só não fez a checagem com quem deveria fazer. Acho inoportuna a atitude de uma autora tão renomada quanto a Sra. Dora Incontri falar sobre um tema que veio aos seus ouvidos por meio de outras falas.

    Sou trabalhadora da Feesp e não me enquadro nos comentários que foram feitos. Faço as tarefas com amor e muito zelo doutrinário, se existem pessoas perfeitas, por gentileza, faça como Jesus recomendou, que atire a primeira pedra.

    É muito fácil estar de fora e “comentar ” o ocorrido. 
    “Esse episódio não me surpreende porque há muito que a FEESP é uma instituição onde a briga por cargos e poder já levou até a polícia lá para dentro, onde a impessoalidade é a tônica da uma instituição que cresceu tanto que perdeu o o caráter de acolhimento humano – o que se revela no extremo de uma situação como essa, que aqui comentamos.”
    É muito fácil falar de uma instituição quando se está longe e não vivencia a situação. Briga por cargos e poder em instituições sempre ocorreram, aliás foi um dos maiores problemas à época de Jesus, que ainda não foi superado. Não foi superado exatamente por isso, sempre existirão pessoas que se colocam acima de tudo. 

    Levedar um ambiente com palavras desnecessárias, sinceramente, agradeço, isso não Jesus.

    Pense. O que podemos fazer para mudar e não somente ficar como espectadores mudos e surdos numa peça que também somos atores?

    Curtir

  39. Ana disse:

    Então, diante do ocorrido com nosso querido, Cláudio Arouca, o sentimento é de grande revolta, pois o que se espera de uma entidade com a finalidade de unir e cuidar das pessoas com amor, carinho e dedicação, vimos o contrário.
    Uma atitude de total desrespeito ao ser humano e seus familiares, nada que condiz com a verdadeira doutrina espírita.
    Que os bons espíritos executores da vontade de Deus estejam cuidando da passagem do nosso irmão Cláudio Arouca, já que a entidade que ele acreditava se negou ao mínimo de respeito que todo ser humano é digno, de ter um velório para que seus familiares e amigos pudessem se despedir e fazer um enterro que ele merecia.
    Lamentável é digno de repúdio a omissão desse órgão.

    Curtir

  40. Walter Freire Roberto disse:

    Já fui expulso de duas casas espíritas
    por discordar da frieza de seus dirigentes!

    Curtir

  41. Elisabeth disse:

    Segundo Emanuel “SOMOS DOENTES PEDINDO ALTA ” Ainda temos muito a aprender Um dia vamos ser LUZ Ainda falta muito pra isso. Que cada um faça a sua parte

    Curtir

  42. sonia disse:

    Estou estarrecida, se esse caso foi investigado, e nada fizeram…o que aprendo na doutrina não é essa desumanização, ainda mais nessa casa conceituada….

    Curtir

    • Ângela Andrade disse:

      Sônia, boa tarde! Trabalho na Feesp. Antes de publicarmos algo é necessário ouvirmos as partes interessadas. Isso, pelo que entendi, não foi feito.

      Curtir

  43. Raimundo Sales de Santana Sobrinho disse:

    Há que se aprofundar.

    Curtir

    • Márcia Alencar disse:

      Exato! A que se aprofundar, o relato da amiga, tem um tom bastante pessoal e utópico quando diz ” vamos estudar e frequentar conforme nosso livre arbítrio” fica complicado, isso pois é antidoutrinário, a doutrina dos espíritos pede disciplina , estudos frequentes e isso nos levará ao amor, empatia e indulgência, a grande maioria de nós carece desses sentimentos.
      Precisamos lembrar Dele quando disse : Que se a nossa fé fosse um grão de mostarda…..tiraríamos lições belissímas, sem acusasões pautadas no achismo!
      Vamos sim, cuidar bem da doutrina dos espíritos, porque ela é tão maravilhosa , iluminada que encomoda quem ainda não a encontrou!!! Porém é questão de tempo!!!! Paciência!!!!
      Muita paz!!!!

      Curtir

  44. Edna Falcão disse:

    Exatamente assim!..
    Centros Espíritas pequenos?.. que a prioridade é o Estudo das Obras básicas do Espiritismo?.!!.. principalmente com o Estudo prioritário do “Evangelho Segundo O Espiritismo!”…?… Uma boa maioria não querem frequentar, pois, não sentem firmeza, não vão ter seus problemas resolvidos, “curados!.”… O Centro Espírita não têm fenômenos mediúnicos?.. humm.. não é protegido… é assim.. que infelizmente está disseminado, espalhado…em todos os lugares sobre o que é um “bom”… Centro Espírita!…
    “Quanto maior, mais gente!… Melhor!”????

    Precisamos Estudar o Evangelho Segundo O Espiritismo, nas Casas Espíritas!….
    “Livro de cabeceira, de leitura diária obrigatória, de leitura preparatória de reuniões doutrinárias, deve ser encarado também como livro de Estudo, para melhor compreensão da Doutrina.” J.Herculano Pires.

    “A ignorância representa enfermidade; a educação edifica. (Irmão Jerônimo)

    “0 Estudo do Espiritismo, conhecê-lo profundamente é o grande desafio que a todos aguarda!”… (Manuel Vianna de Carvalho)

    “CONHECEREIS A VERDADE E A VERDADE VOS LIBERTARÁ!”.. – João 8:32

    🌠 JESUS CONOSCO!☀

    Curtir

  45. Rogério Vilas Boas disse:

    Perfeita colocação. Precisamos de qualidades dentre os trabalhadores da casa espírita, e não de quantidade.

    Curtir

  46. LUIZ CARLOS JARRA disse:

    Decepcione-se com as Casas, dirigentes, mediuns, mas nunca com a Doutrina !!!!

    Curtir

  47. Nildes Nascimento disse:

    É quase surreal entender uma história dessas.
    A que ponto o ser humano chegou , se tornando um ser frio e sem coração , rejeitando socorro aos parentes desse senhor …meu Deus , muito triste isso
    E ainda mais dentro de uma instituição espírita, conhecedora da doutrina espírita cristã , onde o amor ao próximo deve ser a cada dia colocado em prática .
    Que Deus nos ajude !😢😔

    Curtir

  48. Renata disse:

    Esse triste episódio com os familiares do sr.Claudio ressoou fundo em mim. Frequentava um grande centro espirita desde 1987, em São Paulo, e há tempos venho observando a hipocrisia por parte dos que la trabalham. Pedem silêncio antes das palestras, porém conversam alto ao lado da sala de passe durante os trabalhos. Nas palestras, vez ou outra tomam partido político e falam mal de outras religiões. Aquele discurso do tipo “olha, nao é falar mal, mas…”. E quando alguém critica a conduta da casa durante as perguntas abertas na palestra, é subjugado, tido como burro ou destemperaso por ter falado o que pensa. Uma falta de preparo, de EMPATIA, que tava me chateando. Por esse tipo de conduta, por parte da casa, que eu desisti de participar das aulas sobre a Doutrina. E parei de frequentar de vez lá.
    Agradeço a todos que aqui se expressaram, encontrei nesse blog um cantinho de paz e lucidez, e que a gente possa continuar nossa caminhada na senda do bem, apesar dos pesares. Meus sentimentos à família Arouca. Ps: de tanta indignação expressa por mim no FB meus comentários foram deletados e eu, bloqueada na página da Federação.

    Curtir

  49. Aristides disse:

    Como há equívoco entre nós Espíritas. Ainda estamos cobrando do próximo a renovação, o progresso e um comportamento exemplar. Mas, não é a nós que devemos cobrar uma melhor conduta? Ainda estamos tão inocentes de achar que não há falhas em nossos companheiros de ideais, ao ponto de brigar por cargos nas Intituições? Caros irmãos não podemos mudar o próximo. O que podemos fazer é dar exemplo, orar por todos e aguardar o progresso de todos para com o tempo tudo ir se encaixando evangelicamente. Tenhamos paciência. Abraço a todos.

    Curtir

  50. Irene maria cunha nunes disse:

    Um reflexo da falta de estudo, compreensão do que a doutrina se propõe. Fato! Personalismo, poder, misticismosempre em alta. Que possamos avançar, mesmo que minimamente, aprendendo com os erros.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s